09/10/2020 às 10h45min - Atualizada em 09/10/2020 às 10h45min

Um sacolejo no Tabuleiro das eleições

O que ocorreu essa semana na internet já dá o tom que deverá vir de cada candidato durante o "Horário Eleitoral" que começou hoje

Redação M2


Se nós, meros expectadores, nesta batalha travada entre os candidatos na busca por votos, já vimos de “um tudo” nesses primeiros dias oficiais das eleições, o que virá a partir de agora deve ser “fichinha” perto do que começou hoje no rádio e TV. Está aberta, oficialmente, a Propaganda Eleitoral Gratuita, quer dizer, “gratuita” em termos, por que somos nós, meros mortais nesse mundo político quem pagamos a fatura, com uma renúncia fiscal que deve ultrapassar os R$ 538 milhões este ano. Mas eu quero mesmo chamar a atenção para a chamada “propaganda política” nos veículos abertos ao grande público. O que ocorreu essa semana na internet já dá o tom que deverá vir de cada candidato, seja a prefeito ou seja a vereador: os ataques mais frequentes e diários, até o dia 12 de novembro quando finaliza o primeiro “round”, também chamado de primeiro turno.



E pode preparar o estômago, por que se depender da linha que a gente tem visto em nossos feed e storys, o “Casos de Família” vai ser um programa infantil perto do que veremos. Na semana que vem a gente faz uma avaliação do que ocorreu.
 
 



O tempo de propaganda


Serão 20 minutos diários divididos em dois momentos, 10 pela manhã e 10 à noite, entre nove dos onze candidatos à prefeitura de Manaus. O maior tempo de TV e Rádio é de Ricardo Nicolau (PSD), que vai ter 2 minutos e 44 segundos para mostrar suas ideias e propostas para Manaus. O segundo com mais tempo é Amazonino Mendes (Podemos) que vai poder usar 2 minutos e 7 segundos. O petista José Ricardo terá 1 minuto e 16 segundos. Alfredo Nascimento (PR) tem 1 minuto e 13 segundos para apresentar suas propostas.

Com bem menos tempo, David Almeida (Avante) terá que conquistar o eleitor na TV e no Rádio com apenas 58 segundos. Capitão Alberto Neto (Republicanos), que prendeu suposto assaltante durante atividade de campanha (detalho mais abaixo) terá 50 segundos diários.

A galera do “Pisca”

Se o desafio de fazer um programa diário com menos de 1 minuto já é complicado, imagina com apenas 17 segundos. É esse o tempo que Marcelo Amil (PCdoB) terá. Coronel Menezes (Patriota) que deixou o vice de lado nos adesivos de carros (explico mais abaixo) vai ter apenas 16 segundos. Por fim, mas com seus 15 segundos garantidos, o mais novo candidato a prefeito de Manaus com diagnóstico positivo de Covid-19, Romero Reis (NOVO), estreia em uma candidatura majoritária com o menor dos tempo entre os que irão para a propaganda gratuita.

Fora de “cena”


Os candidatos Chico Preto (DC) e Gilberto Vasconcelos (PSTU) não vão aparecer no Horário Eleitoral Gratuito por que seus partidos não possuem representatividade no Congresso Nacional.

As inserções diárias, em formato de comercial, somarão 1 hora e 20 minutos de domingo a domingo. Vereadores terão direito a 28 minutos dessas inserções.
 
A prisão do pedreiro



Era uma quarta-feira tranquila, de atividade normal de campanha para todos, quando começaram a chegar nas redações fotos e relatos de que o Capitão Alberto Neto (Republicanos) teria impedido um assalto a ônibus na Zona Leste de Manaus. Além de ser candidato a prefeito, Alberto é militar de carreira e estava armado naquele momento.  O  fato se alastrou como pólvora, em Manaus e no Brasil. A foto do capitão Bolsonarista com arma em punho com o suposto assaltante segurado pela camisa ganhou destaque em todos os portais, sites, blogs e afins, com material oficial, disparado pela equipe de comunicação do Capitão.

 
 


Mas como toda história tem dois lados, ocorreu que, primeiro uma foto na qual aparecia a bandeira do Amazonas, usada na farda da PM, na cena da ação, também vazou rapidamente. Mas a versão, até então final, foi a do Delegado Costa e Silva (Patriota) que é candidato a vice-prefeito na chapa de um outro militar, Coronel Menezes (Patriota), surgiu horas depois com o suposto assaltante, um pedreiro que teria sido pego para “boi de piranha” na ação. Na mochila do possível assaltante, colher de pedreiro e ferramentas de trabalho, mas nada do celular que teria sido roubado de um passageiro. O homem foi solto, claro, mas as eleições e o episódio ganharam memes que vão do “Oscar” ao novo ditado para uma possível patarata.



O episódio do ovo

Em 2012, Arthur Neto (PSDB) enfrentava uma batalha contra Vanessa Grazziotin (PCdoB) pela prefeitura de Manaus. O tucano havia perdido dois anos antes a vaga no senado para a mesma candidata e tentava se reerguer. A TV Em Tempo, afiliada do SBT, realizava seu debate entre os candidatos, na noite de 11 de setembro. Tudo iria bem, até a chegada de Vanessa que na entrada afirmou ter sido atingida por um suposto ovo, que depois era cuspe e no fim virou uma das principais lendas urbanas da política amazonense. Foi o episódio conhecido como o “episódio do ovo”. Se era ovo ou não, isso de fato até hoje é um mistério. Mas o caso ganhou tanto destaque que foi parar no Congresso. Voltando para os dias atuais, caso o pedreiro não seja mesmo o tal ladrão, Alberto Neto pode até não ganhar as eleições, mas já vai ter seu nome marcado nos anais das campanhas eleitorais pelo episódio “Holywoodano”.
 
Menezes e Bolsonaro



Coronel Menezes resolveu deixar de lado seu candidato a vice nos adesivos de carros distribuídos por sua equipe de campanha. Ele preferiu uma foto de um abraço de proteção e benção de sua candidatura com o presidente Bolsonaro. É mais uma tentativa do ex-presidente da Suframa de tentar alavancar sua campanha, que permanece bem distante dos líderes nas últimas pesquisas.

Brasil sem corrupção


No dia em que a Polícia Federal (PF) fez a segunda fase da Operação Sangria no Amazonas para investigar possíveis desvios de dinheiro destinado ao combate ao Covid-19, no episódio da empresa de vinhos que vendia respiradores, o presidente Jair Bolsonaro, sempre polêmico, soltou mais uma! Dessa vez ele disse que acabou com a Operação Lava-Jato por que não há mais corrupção no governo. Aqui, do meu, do seu, do nosso Amazonas, eu acho que ainda não estamos em Nárnia, Terabítia ou no País das Maravilhas. Deus Salve nossa brava e aguerrida PF.

Falando em PF


A ação da PF no Amazonas na última quinta-feira (08/10) expõe um frágil sistema causado pela dispensa de licitação para as chamadas compras emergenciais. Apesar de ser necessária a compra de equipamentos em momentos delicados como esse pelo qual ainda passamos – vivemos uma pandemia -  é preciso uma mudança urgente para esse tipo de compra. A participação efetiva e imediata de órgãos de controle, não somente após o leite ser derramado, seria bom para fortalecer, aí sim, o combate à corrupção. Quem sabe um dia!

Curtir e Não Curtir


O nosso curtir de hoje vai para a Polícia Federal, que mesmo após supostamente perder autonomia, após prováveis intervenções palacianas em seu comando, se mantém firme e forte no propósito de preservar o erário e fazer cumprir a Lei.

Não Curtir

Eu confesso que não apertei o botão curtir, mas dei umas boas risadas para mais uma pérola do prefeito de Manaus, Arthur Neto (PSDB), que após aquele episódio da megalomaníaca e cara parada com aço escovado, wi-fi (que não funciona) e pedras portuguesas, classificada por ele de “frescura que custa caro”, lá na Ponta Negra, Arthur surgiu ontem (08/10) em um vídeo se vangloriando de não ter achado nenhum buraco nas ruas de Manaus pelas quais ele passou. “Eu vim agora procurando um buraco. Eu louco para achar um buraco e eu não consigo achar”. Nem preciso dizer que virou piada, não é?




Até a próxima!
 
 

 
 
Link
Tabuleiro Baré

Tabuleiro Baré

Coluna Política do M2 News com os bastidores da política e fatos importantes do Amazonas.

Tags »
Relacionadas »
Comentários »
Portal M2 News
Envie NOTÍCIAS e receba as principais notícias publicadas no Portal M2 News em seu WhatsApp. SERVIÇO 100% GRATUITO!