20/10/2020 às 09h18min - Atualizada em 20/10/2020 às 09h18min

​A insensatez dos candidatos que desafiam o COVID-19 no Amazonas

Redação M2
Especial M2 News


Em março, quando o mundo começou a descobrir que tempos ruins chegariam por causa da Covid-19, os mais atentos já previam que muita coisa mudaria por um médio ou longo período. Na política não foi diferente, prova é que até a data das eleições foi alterada pelo Congresso Nacional e posteriormente pelo Tribunal Superior Eleitoral. Mas enquanto o mundo, existente fora do Amazonas, ainda tenta entender esse novo vírus e buscar uma vacina para a proteção, aqui no nosso belo e rico estado, parece, que o vírus já foi embora ou, simplesmente, não existe.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
 

Por aqui, aquele velho ditado que diz que em campanha vale quase tudo é seguido à risca, na capital e no interior do Amazonas. Candidatos ignoram que o mundo ainda vive uma pandemia. Aglomerações, ao menos por aqui, são de todo o tamanho e para todos os gostos. Vão dos pequenos “bandeiraços” nas esquinas da capital, passando por caminhadas (sem respeito ao distanciamento social) à carreatas e, pasmem, uma “réplica cabocla” das micaretas da Bahia. No último final de semana o candidato Ulisses Guimarães, de Urucará, que quer ser prefeito da cidade, promoveu um verdadeiro carnaval fora de época ao levar para as ruas dezenas, centenas, milhares de moradores da cidade para marcar território na disputa pelo posto de homem que vai cuidar do povo e do município. Ao que se percebe para chegar ao poder vale de tudo, menos a sensibilidade com a saúde humana.

Mas não é só em Urucará que esse tipo de ação acontece, Borba, Beruri, Carauri e tantas outros municípios já desafiaram o Covid-19 e essa temeridade já fez explodir os casos no interior o Estado. Com muita sorte e se o COVID-19 não os levar a vida, quem sabe os participantes destas “campanhas eleitorais” consigam ir às urnas votar em seus candidatos, nós torcemos para isso!
 
Manaus tem o candidato mais rico do país

Em baixa nas pesquisas eleitorais, até mesmo na do Ibope, o candidato do NOVO, Romero Reis já pode dizer que venceu ao menos uma disputa nessas eleições: a de candidato mais rico, em Manaus e no Brasil. Romero, que é empresário da construção civil, declarou ter R$ 25 milhões em patrimônios. Ele superou outros 316 candidatos que disputam cargos de prefeitos em todo país. E como o nosso Norte é mesmo “pai d’égua” é daqui, também, o segundo candidato mais rico do país, Hildon Chaves (PSDB), que é tucano e disputa a prefeitura de Porto Velho (RO), declarou ter R$ 20 milhões em patrimônio.

Em Manaus, Romero assinou documento esta semana anunciando que, se eleito, vai doar todo salário para instituições de caridade. Pena que até agora essa ação lembra aquela música de Martinho da Vila, que diz: "Dinheiro pra que dinheiro, se ela não me dá bola".

Vanessa faz campanha em Manaus


Fora da disputa, sim é verdade, Vanessa Grazziotin reapareceu na TV para pedir votos para os candidatos do PCdoB, Marcelo Amil e Dora Brasil, que disputam a prefeitura de Manaus. Vanessa também tem participado de reuniões e pedido votos para vereadores da legenda. A ex-senadora tem declarado que espera que ao menos seis vereadores da legenda sejam eleitos.
Menezes perde mais

Depois de divulgar foto “cortando” os cabelos em uma barbearia do Alvorada, zona Oeste de Manaus, o candidato do Patriota, Coronel Menezes, que é careca, perdeu mais uma na justiça. Menezes que fez campanha anunciando que o faturamento da Suframa enquanto foi superintendente chegou a ser bilionário, vai ter que tirar essas informações de suas peças publicitárias. É que o candidato Alfredo Nascimento (PR) questionou o uso dessas informações na justiça eleitoral, alegando que os número usados pelo candidato da direita não refletem à realidade. A juíza eleitoral Sanã de Oliveira, aceitou os argumentos do PR. “Outrossim, na mesma propaganda, denota-se a propagação de “fake news” ao frisar a notícia quanto a faturamento bilionário da SUFRAMA, de fato induzindo o eleitorado a erro e à desinformação, visto que o faturamento ao qual se reporta o candidato, muito provavelmente refere-se à empresas que atuam no Polo Industrial de Manaus.”, disse a magistrada.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
 


Falando em justiça eleitoral

Três candidatos a prefeito de Manaus ainda aguardam deferimento, ou seja, aprovação de seus registros de campanha de suas candidaturas, são eles: Alfredo Nascimento (PR) , Chico Preto (DC) e David Almeida (Avante). Apesar de seus registros ainda não estarem liberados pela justiça eleitoral eles podem fazer ações de campanha normalmente. A expectativa é de que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), julgue seus pedidos de registros em no máximo mais uma semana. A situação pode ser acompanhada através do site DIVULGACAND do TSE. Clique aqui e acompanhe.

Gilberto Vasconcelos quer acabar com saúde privada


O último colocado em todas as pesquisas eleitorais Gilberto Vasconcelos (PSTU) carrega algumas propostas polêmicas em seu plano de governo. Além de querer acabar com as escolas particulares e implantar uma escola “com partido”, Gilberto propõe o fim dos hospitais privados e uso total dessas unidades pelo SUS. O candidato parece que esqueceu de combinar isso com o Congresso Nacional, com o presidente, com o Governador, mas ao menos está pedindo autorização do povo, né? Mas acredito que suas propostas não agradaram o eleitorado que refletiu isso na última pesquisa do Ibope.
 
Menezes quer construir uns viadutos e passagens de nível


Coronel Menezes (Patriota) propôs em seu programa de governo construir um novo viaduto na Zona Leste de Manaus. A nova obra seria construída na rotatória, a popular “bola” do Produtor.  Menezes pretende ainda construir uma passagem de nível no cruzamento da Avenida Humberto Calderaro com a Avenida André Araújo, uma passagem de nível que integrará a Avenida Professor Nilton Lins e a Avenida Torquato Tapajós, e uma outra passagem de nível que permitirá o acesso direto da Ponta Negra ao Dom Pedro. Haja obra!
 
A sensatez da juíza de Atalaia do Norte



A Juíza Eleitoral, Andrea Jane Silva de Medeiros, da comarca de Atalaia do Norte, a 1.136 Km da capital, decidiu proibir as campanhas eleitorais dentro das aldeias indígenas da região. A magistrada entendeu, sabiamente, que a presença de candidatos ou cabos eleitorais dentro das tribos pode causar contaminação e, consequentemente, uma possível devastação de indígenas se houver uma contaminação pelo novo coronavírus. Aos candidatos resta usar o rádio para apresentar suas propostas aos indígenas.
 
Curtir Não Curtir

Nós apertamos diversas vezes o botão curtir para os médicos que atuaram e que ainda atuam no combate ao novo coronavírus em Manaus e no interior do Amazonas. Sabemos que o esforço para salvar vidas, muitas das vezes com pouca estrutura, é imenso, mas compensador. Por isso, nossos mais sinceros aplausos e nossa parabenização pela passagem do Dia do Médico que foi ontem, dia 18 de outubro.
 

Não curtimos o que batizamos de “uso indevido” de cuecas pelo senador aqui do nosso vizinho estado de Roraima. O líder do governo no senado, Chico Rodrigues (DEM) cometeu um verdadeiro atentado ao colocar as novíssimas notas de R$ 200 escondidas em suas nádegas, ou entre elas. Pena mesmo nós tivemos é do lobo-guará.
 
Link
Tabuleiro Baré

Tabuleiro Baré

Coluna Política do M2 News com os bastidores da política e fatos importantes do Amazonas.

Tags »
Relacionadas »
Comentários »
Portal M2 News
Envie NOTÍCIAS e receba as principais notícias publicadas no Portal M2 News em seu WhatsApp. SERVIÇO 100% GRATUITO!