16/03/2018 às 20h14min - Atualizada em 16/03/2018 às 20h14min

Manicoré deve impulsionar a atividade extrativista do óleo da Copaíba

A cidade da Calha do Madeira é a maior produtora de óleo de copaíba do Estado, com uma produção anual de 1,5 tonelada.

Redação M2 News
A presidente de honra do FPS, Mônica Mendes, entregou equipamentos aos extrativistas nessa sexta-feira, no sul do Amazonas. Foto: Herick Pereira/Secom
 
 
A produção do óleo da copaíba no Amazonas ganhou impulso com o incentivo do Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS) do Governo do Amazonas, que fez a entrega de equipamentos e transportes nesta sexta-feira (16/03) para impulsionar o extrativismo do óleo no município de Manicoré. A cidade da Calha do Madeira é a maior produtora de óleo de copaíba do Estado, com uma produção anual de 1,5 tonelada.
 
A região possui 150 mil hectares de terra de copaibeiras, sendo a comunidade do Lago do Atininga, zona rural da cidade, a maior produtora do óleo. Na localidade, o trabalho é realizado por mais de 70 famílias da Associação Agroextrativista da Comunidade do Lago do Atininga. Em sete anos, a associação produziu 7 toneladas de óleo de copaíba.
 
Para fomentar ainda mais a produção, o FPS entregou botes de alumínio, perfuradeiras, bombonas para armazenamento, triciclo e equipamentos de proteção individual (EPIs). O investimento foi de R$ 53,9 mil e faz parte do Termo de Fomento firmado entre a associação e o FPS. "Esses investimentos representam uma conquista histórica para a comunidade. E a nossa missão é olhar e ajudar de perto aquelas pessoas que cuidam da nossa floresta. E isso merece ser fomentado em nosso Estado", declarou a presidente de honra do FPS, Mônica Mendes.
 
Valor agregado - A comercialização do produto é feita para uma empresa fabricante de aromas e perfumes do Estado de São Paulo (SP). Com os materiais, as perdas no valor agregado do óleo vai reduzir em torno de 40%.
 
"As bombonas que ganhamos vão poder armazenar melhor o óleo. Isso representa mais valor para nossa produção porque antes tínhamos perdas em torno de 30% a 40% no custo do produto devido à falta uma armazenagem melhor para nosso cliente. Além do que a produção deve aumentar porque enquanto manualmente se faziam três extrações do óleo. Com a perfuradeira, vamos fazer 15 extrações", afirma o presidente da associação, Getúlio Pereira.
 
Apoio técnico - O Instituto de Desenvolvimento Florestal e Sustentável do Amazonas (Idam) do município realiza capacitação e orientações junto aos extrativistas para melhor aproveitamento da floresta sem causar danos ao meio ambiente. "Nossos técnicos acompanham os copaibeiros para fazer as boas práticas da extração da copaíba. Esse é um trabalho contínuo na comunidade", afirma a gerente do Idam do município, Marize Silva.
 
Além da copaíba, o município lidera a produção de farinha de mandioca com um volume de 120 mil toneladas, ao ano, assim como castanha e açaí.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale com a gente
Portal M2 News
Envie NOTÍCIAS e receba as principais notícias publicadas no Portal M2 News em seu WhatsApp. SERVIÇO 100% GRATUITO!