02/04/2018 às 09h33min - Atualizada em 02/04/2018 às 09h33min

Malala deixa o Paquistão após realizar o sonho de voltar ao seu país

Malala chegou ao Paquistão na última quinta-feira (29), acompanhada por membros de sua família, onde foi recebida por representantes do governo paquistanês.

Com informações - Agência EFE
Redação M2 News
Malala Yousafzai em visita ao Paquistão Foto:Reuters/Saiyna Bashir

 

 

A vencedora do Prêmio Nobel da Paz, Malala Yousafzai, deixou hoje (2) o Paquistão após uma emocionante visita de quatro dias, na primeira viagem ao seu país natal desde 2012, quando um talibã lhe deu um tiro na cabeça, por conta da sua luta pela educação feminina.

A jovem deixou o país no começo da manhã em um voo regular no Aeroporto Internacional Benazir Bhutto, na capital paquistanesa, disse à Agência EFE uma fonte de segurança do aeroporto que pediu anonimato. "A segurança foi reforçada antes da sua chegada ao aeroporto", afirmou.

Malala chegou ao Paquistão na última quinta-feira (29), acompanhada por membros de sua família, onde foi recebida por representantes do governo paquistanês.

Primeiro-ministro do Paquistão, Shahid Khaqan Abbasi (ao centro), recebe a ativista Malala Yousafzai (4ª à direita) na última quinta-feira (29) depois de quase seis anos sem pisar em seu país . Foto: EFE/Departamento de Imprensa do Paquistão/

Primeiro-ministro do Paquistão, Shahid Khaqan Abbasi (ao centro), recebe a ativista Malala Yousafzai (4ª à direita) na última quinta-feira (29) depois de quase seis anos sem pisar em seu país . Foto: EFE/Departamento de Imprensa do Paquistão/

Primeiro-ministro do Paquistão, Shahid Khaqan Abbasi (ao centro), recebe a ativista Malala Yousafzai (4ª à direita) na última quinta-feira (29) depois de quase seis anos sem pisar em seu país . Foto: EFE/Departamento de Imprensa do Paquistão/

Primeiro-ministro do Paquistão, Shahid Khaqan Abbasi (ao centro), recebe a ativista Malala Yousafzai (4ª à direita)
 na última quinta-feira (29) depois de quase seis anos sem pisar em seu país . Foto: EFE/Departamento de Imprensa do Paquistão

O primeiro-ministro Shahid Khaqan Abbasi se reuniu com ela e organizou um evento em seu gabinete com parlamentares, políticos e diplomatas, que homenagearam a ativista. No evento, Malala não conseguiu segurar as lágrimas durante o discurso, onde afirmou estar realizando o "sonho" de retornar ao seu país.

Dois dias depois, viajou, com forte esquema de segurança, para sua cidade natal, Mingora, onde visitou sua antiga casa e se reuniu com estudantes em um instituto militar

Prêmio Nobel da Paz Malala Yousafzai (segunda à esquerda) se reúne com sua família em sua cidade natal, Mingora, em visita ao Paquistão, seis anos após deixar o país após sofrer um ataque talibã. EFE/EPA/Faridullah

Prêmio Nobel da Paz Malala Yousafzai (segunda à esquerda) se reúne com sua família em sua cidade natal, Mingora, em visita ao Paquistão, seis anos após deixar o país após sofrer um ataque talibã. EFE/EPA/Faridullah


Prêmio Nobel da Paz Malala Yousafzai (segunda à esquerda) se reúne com sua família em sua cidade natal, Mingora.
Visita ao Paquistão, seis anos após deixar o país após sofrer um ataque talibã.  Foto: EFE/EPA/Faridullah.

Apesar do apoio recebido de parte do governo, sua presença também despertou duras críticas e protestos, como o organizado pela principal associação de escolas particulares do país, na última sexta-feira (30), sob o lema "Eu não sou Malala".

A jovem deixou o Paquistão em 2012 quando um talibã lhe deu um tiro por ela defender a educação para meninas e teve que ser levada ao Reino Unido para ser tratada. Desde então, mora naquele país e agora estuda na Universidade de Oxford.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale com a gente
Portal M2 News
Envie NOTÍCIAS e receba as principais notícias publicadas no Portal M2 News em seu WhatsApp. SERVIÇO 100% GRATUITO!