11/06/2021 às 12h54min - Atualizada em 11/06/2021 às 12h54min

Chegada de Bolsonaro ao ES tem tumulto e ofensas a oposicionista

Uol
Foto: Reprodução
 

A chegada do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em Vitória, no Espírito Santo, gerou tumulto e aglomeração. Apoiadores sem máscara que o aguardavam agrediram com palavras de baixo calão uma jovem que carregava uma placa em referência aos quase 500 mil mortos por complicações da covid-19. A imprensa também foi atacada por eleitores do presidente que estavam sem máscara e gritavam palavras como "mito".

A maioria dos eleitores do presidente estava sem máscara, inclusive o chefe do Executivo nacional. A viagem ocorreu porque Bolsonaro participará de uma cerimônia de entrega do Residencial Solar São Mateus. O vídeo da chegada ao aeroporto foi compartilhada nas redes sociais do chefe do Executivo nacional.

Após pedir um parecer do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para desobrigar o uso de máscaras, Bolsonaro tem agradado apoiadores. A ideia é para que a medida possa valer para as pessoas que se recuperaram da covid-19 ou que já se vacinaram.

A sugestão do parecer, porém, acontece diante do avanço de casos da doença e do colapso do sistema de saúde de diversos estados, que atingiram capacidades de lotação acima dos 80%, segundo dados apresentados ontem pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz).

Doze unidades da Federação encontram-se com taxas de ocupação iguais ou superiores a 90%: Tocantins (94%), Maranhão (90%), Ceará (93%), Rio Grande do Norte (94%), Pernambuco (97%), Alagoas (91%), Sergipe (99%), Paraná (96%), Santa Catarina (97%), Mato Grosso do Sul (107%), Goiás (90%) e Distrito Federal (90%).

Chegada de Bolsonaro a Vitória/ES foi marcada por tumultos. Jovem com placa em referência aos quase 500 mil mortos pela pandemia foi hostilizada (com palavras de baixo calão e teve a placa rasgada por apoiadores do presidente), além de ataques à imprensa. 

Na saída do Alvorada, ainda em Brasília, Bolsonaro disse que está com a consciência em paz após pedir um parecer ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para que o uso de máscaras não seja obrigatório aos que já tiveram covid-19 ou se vacinaram contra a doença.

Se bem que quem decide na ponta da linha é governador e prefeito, eu não apito nada. Segundo o Supremo (Tribunal Federal) quem decide é eles. Mas nada como você estar em paz com a sua consciência
Jair Bolsonaro

Ao mesmo tempo, o presidente afirmou que a decisão final sobre a obrigatoriedade ou não das máscaras será de Marcelo Queiroga e, no fim da linha, dos governadores. Com um discurso distorcido e informações equivocadas, Bolsonaro fez a mesma alegação ontem.

 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale com a gente
Portal M2 News
Envie NOTÍCIAS e receba as principais notícias publicadas no Portal M2 News em seu WhatsApp. SERVIÇO 100% GRATUITO!