29/06/2017 às 00h04min - Atualizada em 29/06/2017 às 00h04min

Eleição no AM: Quem governa, David ou Melo? Entenda como fica o cenário político no Estado.

Candidatos ao cargo de governador se posicionam contrários à decisão de Ricardo Lewandowski, que suspendeu o pleito no Amazonas.

Mário Marinho - Redação M2 News
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski determinou na noite dessa nesta quarta-feira, 28, a suspensão da eleição direta para o Governo do Estado do Amazonas, marcada para dia 6 de agosto.  A decisão  do ministro atende a um pedido do ex-vice-governador  do Estado Henrique Oliveira,  cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) junto com José Melo, acusado de compra de votos  nas eleições realizadas em 2014.  Esse é primeiro dos três processos existentes envolvendo o cargo de governador e eleição no Amazonas. As outras duas ações são movidas pelo PTN, hoje denominado PODEMOS e  pela Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM) , que pedem eleição indireta no Estado.

Nos três casos o relator dos processos é o ministro
Ricardo Lewandowski. No entendimento de juristas consultados pelo M2 News existem duas possibilidades no momento. A primeira é a manutenção de David Almeida no cargo de governador, até o julgamento final da ação movida por Henrique Oliveira. A outra, seria o retorno de José Melo ao cargo de Governador do Amazonas, uma vez que a liminar concedida pelo ministro suspende o acórdão do TSE. Para saber quem fica de fato no cargo, agora, é necesário esperar a publicação do inteiro teor da decisão liminar de  Lewandowski, o que deve acontecer nas próximas horas. Até essa publicação David Almeida permanece governador.

Em seu despacho Lewandowski determinou a comunicação imediata ao TRE-AM, que cassou os mandatos de Melo e Henrique, e ao Tribunal Superior Eleitoral, que manteve a decisão do TRE-AM em maio desse ano. 

 

Candidatos reagem e se mostram surpresos


Eduardo Braga, candidato ao govervo, disse em comunicado feito através das redes sociais que a decisão deixa o Amazonas indignado. "Nós não vamos desistir. Isso faz parte da luta, da resistência. Vamos vencer essa crise revogando essa decisão", disse Braga em vídeo divulgado

Candidato ao governo do Amazonas,Wilker Barreto (PHS), anunciou que vai suspender a agenda de campanha por decisão do corpo jurídico da sua chapa. "Eu sempre fui um defensor da eleição direta. Mas temos que obedecer a decisão do STF.  Eu estou suspendendo minhas agendas de campanha por conselho do meu corpo jurídico, até que o mérito da questão seja julgado", disse Wilker Barreto, em entrevista ao M2 News no começo dessa madrugada, 29.

A candidata Liliane Araújo (PPS) , afirmou em vídeo divulgado nas redes sociais que lamenta a decisão e espera que ela seja revista. "É direito do povo votar e escolher o próximo governo. Não é justo que uma minoria da elite política decida o futuro do nosso Estado", afirmou.

Já o candidato Luíz Castro (REDE), chamou a decisão de absurda. "Decisão isolada, equivocada, destituída de bom senso. Vamos estudar com a nossa equipe jurídica como reverter essa decisão", afirmou o candidato. 

Os demais candidatos ao cargo de governador ainda não se manifestaram sobre a decisão de 
Lewandowski .


 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale com a gente
Portal M2 News
Envie NOTÍCIAS e receba as principais notícias publicadas no Portal M2 News em seu WhatsApp. SERVIÇO 100% GRATUITO!