21/04/2022 às 21h51min - Atualizada em 21/04/2022 às 21h51min

Putin declara vitória em Mariupol, mas desiste de invadir siderúrgica

Reuters
Foto: Reuters

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, reivindicou nesta quinta-feira vitória na maior batalha da guerra na Ucrânia, declarando o porto de Mariupol "libertado" após quase dois meses de cerco, apesar de centenas de combatentes ucranianos seguirem concentrados em uma siderúrgica na cidade.

A Ucrânia disse que a tentativa de Putin de evitar um confronto final com suas forças na cidade foi um reconhecimento de que ele não tinha condições de derrotá-los.

"Você completou com sucesso o esforço de combate para libertar Mariupol. Deixe-me parabenizá-lo nesta ocasião e, por favor, transmita meus parabéns às tropas", disse Putin ao seu ministro da Defesa, Sergei Shoigu, em uma reunião televisionada no Kremlin.

"Considero desnecessária a proposta de invasão da zona industrial. Ordeno que a cancele", disse ele. "Não há necessidade de escalar essas catacumbas e rastejar no subsolo dessas instalações industriais... Bloqueie essa área industrial para que nem mesmo uma mosca possa passar."

A decisão de não invadir a siderúrgica Azovstal – após dias ordenando que seus defensores se rendessem ou morressem – permitiu a Putin reivindicar sua primeira grande conquista desde que suas forças foram expulsas do norte da Ucrânia no mês passado. Mas fica aquém da vitória inequívoca que Moscou buscava após meses de combates brutais em uma cidade reduzida a escombros.

"Eles fisicamente não podem tomar Azovstal, eles entenderam isso, sofreram enormes perdas lá", disse o assessor presidencial ucraniano, Oleksiy Arestovych, em um briefing. "Nossos defensores continuam resistindo."

Solicitado a comentar a decisão de Putin, o porta-voz do Ministério da Defesa da Ucrânia disse que ela mostra suas "tendências esquizofrênicas".

Mariupol, que já abrigou 400 mil pessoas, foi cenário não apenas da batalha mais intensa da guerra, mas também de sua pior catástrofe humanitária, com centenas de milhares de civis isolados por quase dois meses sob cerco e bombardeio russos.

 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale com a gente
Portal M2 News
Envie NOTÍCIAS e receba as principais notícias publicadas no Portal M2 News em seu WhatsApp. SERVIÇO 100% GRATUITO!