MENU

10/09/2019 às 11h19min - Atualizada em 10/09/2019 às 11h19min

Casos de feminicídio no país crescem 4% enquanto os de homicídio diminuem

4 Meninas de até 13 anos são estupadas por no Brasil

Redação M2
Folhapress

A queda de 10% no número de homicídios no país, entre 2017 e 2018, não se reflete nos casos de feminicídio, que registraram alta de 4% no mesmo período, segundo dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgados nesta terça (10).

Em comparação com 2015, ano em que a Lei do feminicídio foi criada, o aumento foi ainda maior, de 62,7%. Nos dois últimos anos, foram registrados 2.357 feminicídios, o que significa uma vítima morta por ser mulher a cada oito horas.

 

Na maioria dos casos, as vítimas são negras (61%) e estudaram até o ensino fundamental (70,7%).

"Essas mulheres acumulam vários indicadores de extrema vulnerabilidade: têm baixa escolaridade, sofrem racismo e, muito provavelmente, têm uma renda relativamente baixa", afirma a diretora-executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Samira Bueno.

"Elas já sofriam violência doméstica mas, muitas vezes, nem chegam a denunciar: por não se reconhecerem vítimas, por medo e por dependerem financeiramente do agressor.

"Na opinião de Samira, ainda que existam leis com penas duras para autores de violência doméstica, a exemplo da Lei do Feminicídio, tratar do tema apenas à luz do Código Penal não é suficiente.

A diretora do Fórum afirma que faltam políticas de assistência social no que diz respeito à vulnerabilidade de possíveis vítimas, como destacar profissionais capacitados para ajudá-las em postos de saúde.

"Essa mulher pode não ter ido à polícia fazer uma denúncia, mas ao posto ela vai. Se houver alguém ali que a ajude, a chance de ela não sofrer um feminicídio aumenta."Na opinião de Samira, o Estado brasileiro vem agindo na contramão do que deveria ser feito para coibir a violência contra a mulher, que culmina nos assassinatos.

O debate de violência de gênero e aulas de educação sexual, diz ela, seriam um caminho para a prevenção. "Mas são dois temas demonizados pelo governo", diz. "Quantas mais terão que morrer e ser violadas para o Estado brasileiro agir?"Segundo dados do Anuário, os casos de lesão corporal dolosa relacionados à violência doméstica também aumentaram de 2017 para 2018: foram de 252.895 registros para 263.067.Portanto, a cada dois minutos, mostra o relatório, uma mulher sofre violência doméstica.

O que significa que, até você chegar ao final deste texto, ao menos uma mulher terá sido agredida pelo marido, namorado ou antigo companheiro.A maioria dos crimes tem como vítimas mulheres de 30 a 39 anos (29,8%).

O número também é considerável na faixa entre 20 e 29 anos (28,2%). Os dados são referentes à chamada idade reprodutiva.O feminicídio está intimamente ligado à violência doméstica, aponta o relatório: 88,8% são cometidos por parceiros ou ex-companheiros. Além disso, em 65,6% dos casos os assassinatos acontecem na residência da vítima.Uma das alternativas para tentar diminuir o número de feminicídios, acredita a especialista, é promover grupos de reflexão para agressores, para evitar uma escalada de violência que possa culminar no assassinato da parceira ou ex.

"Eles seguem um padrão, aprenderam a se relacionar assim, acham que a mulher é inferior, não aceitam que ela tenha a própria vida ou se envolva com outra pessoa, caso se trate do fim de uma relação ", diz Samira. "Por isso, é preciso que participem de iniciativas para mudar essa mentalidade."Três newsletters, Transforma, Inspira e Pausa, e uma ideia: debates para as mulheres de um mundo em evolução.Da UniversaDe todos os estupros cometidos contra mulheres entre 2017 e 2018, cerca de 52,8% tiveram como vítimas meninas de até 13 anos.

Isso significa que, a cada hora, quatro garotas dessa faixa etária foram vítimas de violação sexual no país.Da UniversaA polícia investiga o caso de uma mulher que teria ficado por 13 horas mantida em cárcere privado, sendo agredida e abusada em Lorena (SP). O suspeito foi preso em flagrante.Da UniversaUma mulher de 33 anos acusa a Santa Casa de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, de omissão de socorro e violência obstétrica. Ela afirma que deu à luz no banheiro de um dos quartos da instituição e que a criança bateu a cabeça no chão e demorou a ser socorrida. A gerente de vendas Viviane Borges Gomes e a filha, Alice, tiveram alta ontem (8), mas a mãe teve hemorragia hoje (9) e foi novamente internada.

A Polícia Civil investiga o caso. O hospital, em nota, afirmou que também apura o ocorrido.Da UniversaJake Leal, dançarina conhecida por participar do Big Brother Brasil 12, revelou à revista Quem que saiu recentemente de um relacionamento abusivo, e relatou como terapia e aulas de jiu-jítsu a ajudaram a superar a experiência.Da UniversaDados inéditos obtidos pelo jornal Folha de São Paulo mostram que a cada 4 minutos uma mulher é vítima de agressão no Brasil.

Edvan Cunha Figueireido, 39 anos, foi preso suspeito de jogar uma frigideira com óleo de cozinha fervente na esposa, Joicemara Nascimento Lopes, 35, no bairro Tancredo Neves, Zona Leste de Manaus, na madrugada de hoje (8). Segundo a polícia, a vítima foi atingida em diversas partes do corpo, como os braços, pescoço e no rosto.


Uma menina de cinco anos, que tinha paralisia cerebral, morreu após sofrer um estupro em Santa Maria, na região central do Rio Grande do Sul. Ela chegou a ser levada pela mãe para o Hospital Universitário, na madrugada de sábado (7), mas não resistiu aos ferimentos.Da UniversaUma adolescente de 17 anos e o pai dela morreram dentro de casa na noite de ontem, em Chapada dos Guimarães, Cuiabá. Segundo boletim de ocorrência, o suspeito é um ex-namorado da jovem que está desaparecido.


A jornalista Alí Nacif, de 32 anos, estava participando de uma roda de pagode na noite de domingo (1), em Fortaleza (CE) quando teve a noite interrompida por um episódio de transfobia: ela teria sido impedida de usar o banheiro feminino do bar e, ao reivindicar os direitos de mulher transexual, teria sido ofendida e empurrada duas vezes por um homem que se apresentou como gerente.

 Só havia uma mulher no banco de testemunhas aquele dia, mas dela surgiram seis pessoas dispostas a testemunhar os abusos terríveis que sofreram.

Os proprietários do site pornô Pornhub, o maior site de conteúdo adulto do mundo, estão lucrando com "pornografia de vingança" e deixando de remover os vídeos desse tipo, apurou a BBC News.BBC News BrasilIrritados porque foram acordados com o choro da menina de 4 anos, a mãe e o padrasto a espancaram até a morte.

A atriz Helena Fernandes, no ar como Eugênia na novela "Bom Sucesso", participou do "Encontro com Fátima Bernardes" de hoje e abriu o jogo sobre um tema delicado de sua biografia: estupro Da inspetora escolar, de 34 anos, levou mais de 30 pontos na cabeça e ficou com vários ferimentos no corpo depois de ser agredida pelo ex-namorado com um pé de cabra em Vila Velha (ES). Segundo a investigação, ela só não foi morta porque a mãe, de 62 anos, conseguiu conter as agressões, mas também foi atingida e teve escoriações.

Ela não gostava de reclamar e nem de expor seus problemas pessoais. Nos últimos meses de vida de Andreia Campos Araújo, o ciúme do então noivo seria motivo suficiente para que ela se abrisse com amigos e parentes, talvez evitando sua morte, aos 28 anos.

Mas ela preferiu aguentar quieta e sozinha.Da UniversaO corpo de Letícia Sousa Curado, funcionária terceirizada do Ministério da Educação, foi encontrado hoje pela Polícia Civil do Distrito Federal.

Marinésio dos Santos Olinto, suspeito de cometer o assassinato, foi preso ontem e confessou o crime, levando os policiais até o local onde estava o corpo. A mulher, de 26 anos, estava desaparecida desde a última sexta-feira.

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »