MENU

01/12/2019 às 14h05min - Atualizada em 01/12/2019 às 14h05min

Igreja manda apagar em um dia obra artística que demorou cinco anos para ser concluída.

Teto da Capela de Nossa Senhora do Sameiro, na Ponta Negra, foi todo coberto de branco após chegada de novo capelão.

Redação M2 News
Mário Marinho - mariomarinho@m2news.com.br
Artista plástico amazonense Nelson Falcão, durante trabalho de pintura artística do teto da Capela Nossa Senhora do Sameiro, em Manaus. Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal/Nelson Falcão



O artista plástico amazonense Nelson Falcão levou um susto ao passar na última segunda-feira (26/11) em frente à Capela de Nossa Senhora do Sameiro, localizada ao lado do Ponta Negra Shopping, na Avenida Coronel Teixeira, estrada da Ponta Negra, zona Oeste de Manaus, e se deparar com todo interior do local na cor branca. Poderia ser uma reforma comum dessa época do ano, mas não foi bem isso. Embaixo da tinta de cor branca ficaram mais de cinco anos de trabalho, entre pesquisas, estudos de elementos e melhores técnicas a serem aplicadas no teto do templo religioso.

“Era muito comum eu passar por lá e olhar Cristo que ficava atrás do altar. Na segunda-feira passada eu vi que o Cristo não estava mais lá”  detalhou o artista, ainda impactado com a saída de cena, de uma maneira tão abrupta, de um trabalho feito a custo zero para paróquia.



Para entendermos o que de fato houve é preciso regressar um pouco no tempo. Quando era mais jovem, Nelson Falcão entrou pela primeira vez na Capela Nossa Senhora do Sameiro. O menino ficou maravilhado com história da igreja, construída por um imigrante europeu em homenagem a esposa. O garoto, que ainda não tinha todas as técnicas que um artista precisa para chegar ao ápice de pintar o teto da uma igreja, prometeu a si mesmo que um dia pintaria o local e contribuiria assim para gerar mais uma identidade ao espaço religioso.

Em 2005, anos mais tarde, Nelson que já estudava artes fora do Amazonas foi ao local e viu que a paróquia passaria por uma reforma.  Era a oportunidade que ele tinha de realizar seu sonho de adolescência e de contribuir artisticamente para sua comunidade.  Alinhado a doadores da comunidade, recebeu autorização da igreja para iniciar os trabalhos. Foram cinco longos anos até a igreja ganhar os últimos retorques artísticos e receber a obra concluída.

“A obra mostrava ascensão de Nossa Senhora, emoldurada com elementos que traziam referências ao antigo e novo testamento.  Próximo ao altar uma pintura Jesus, com 1,80 metros. Foi uma pintura muito estudada, desde o início” detalhou Nelson sobre sua obra.


O susto

 

“Estava tudo branco. Todo o teto, as laterais, a parte do coro da igreja. Nem o Cristo do altar eles perdoaram. Pintaram tudo de branco” disse entristecido o artista Nelson Falcão.


Ao passar pela frente da Capela, no último dia 26 de novembro, e perceber que havia algo errado, o artista foi até lá e ao adentrar o espaço não acreditou no que estava a ver.

 

“Eu sou o artista que pintou tudo isso aqui, que vocês acabaram de pintar de branco” disse Nelson aos pintores que apagavam naquele momento um trabalho de cinco anos.


“Eles ficaram em choque, pediram desculpas visivelmente chocados” mas estavam apenas cumprindo o trabalho deles e, seguindo ordens da direção da Capela, explicou Nelson.

 

A Capela Senhora do Sameiro está em processo de tombamento como Patrimônio Cultural do Estado do Amazonas. A retirada da obra deve, também, acabar com o processo, que dá a prédios de grande importância artística e cultural do Amazonas, o respeitável título de bem público intocável.


O que diz a igreja.


A Capela Nossa Senhora do Sameiro divulgou nota na qual alega que a obra foi apagada por que o teto da igreja, reinaugurada em 2011, já apresenta infiltrações. Por isso, toda obra, inclusive a parte localizada atrás do altar (longe do teto infiltrado) também foi apagada.

 


Veja a nota emitida pela Capela


A Paróquia Militar Nossa Senhora do Sameiro, ligada ao Ordinariado Militar do Brasil, vem por meio deste, comunicar que no decorrer do presente ano, o Pároco Pe. José Alex Bento, o Vigário Paroquial, Pe. Alexandre Batista do Nascimento e o Conselho Administrativo e Econômico, perceberam a necessidade de diversas reformas emergenciais nas instalações paroquiais.  Dentre estas, destacamos reparos estruturais nos prédios da Igreja Capela, Igreja “Nova” e Centro Pastoral.

A referida pintura no teto interno da capela foi apagada pelo fato de parte do telhado e do forro da instalação apresentar inúmeras infiltrações, o que exigiu ações corretivas. Boa parte da pintura encontrava-se comprometida, uma vez as citadas infiltrações e goteiras estavam danificando as estruturas da Capela. Ressalvo, que o novo projeto de pintura continuará a beleza e dignidade da espiritualidade Mariana, conservando assim, a história de nossa abençoada Paróquia Militar.
Pedimos a intercessão da Virgem do Sameiro e nos colocamos à disposição para esclarecimentos posteriores.

Fraternalmente em Cristo,

Pe. José Alex Bento

 


 

A versão do artista.



O artista plástico amazonense Nelson Falcão divulgou nesse domingo (01/12) uma nota pública na qual explica o que pode de fato ter levado a retirada de sua obra do interior do igreja. Ele pontuou cada ponto, mostrando assim, que versões sobre ligações de que a obra traria elementos de alusão à outras crenças não se confirmam. Veja abaixo a íntegra da nota emitida pelo artista.


Nota de esclarecimento aos fiéis da paróquia Nossa Senhora do Sameiro.
 
Queridos irmãos cristãos que fazem parte da Paróquia N.S. do Sameiro, gostaria de esclarecer algumas dúvidas a respeito da pintura que doei a nossa amada capela no ano de 2011.

Hoje tive acesso aos reais motivos pelo quais esta obra (pintura da abóbada e do altar) foi apagada. O problema foi muito além de uma infiltração, afinal nada justificaria eliminar a pintura já que temos técnicas de restauro exatamente para este tipo de situação. Importante lembrar que a pintura do Cristo não estava no teto, mas no altar. Mas estas são questões que tratarei aqui.

Me sinto obrigado sim a esclarecer, não apenas como artista, mas, sobretudo, como professor de História da Arte (10 anos de docência; 15 anos de pesquisas dedicados à Mitologia Comparada, Antropologia da Arte e Teologia) alguns pontos que começam a emergir entre grupos de fiéis que fazem parte desta paróquia, no que se refere a forma da utilização de personagens, símbolos e ícones religiosos.

 
Vamos a algumas esclarecimentos:

 
1. O Triângulo: utilizei ícones que remetem ao arcabouço simbólico da cultura do povo hebreu, raiz do Judaísmo e Cristianismo: 1.1) Triângulos: representam a trindade, são equiláteros (possuem lados e ângulos iguais), ou seja, simbolizam o equilíbrio sagrado. O triângulo com o vértice p cima, o princípio ativo de Deus (“Assim no Céu(...)”) e com o vértice para baixo, o princípio passivo de Deus ((...) Como na Terra”). Os dois triângulos se fundem produzindo o hexagrama (estrela de 6 pontas, a “estrela de Davi”, dos Salmos, Antigo Testamento), símbolo da emanação criativa de um Deus onipresente, onipotente e onisciente. Mostro a seguir como elaborei (passo a passo) os símbolos triangulares.






 


1.2) Alfa no triângulo: a letra alfa (“A” maiúsculo com uma variação gráfica, no exemplo acima) não deve ser confundido com o símbolo maçônico (esquadro e compasso). Alfa dentro do triângulo sintetiza aqui a ideia do princípio (alfa) ativo (triangulo) da infinita Criação de Deus. Esse símbolo está guardado sob as asas de 2 querubins porque esses segundo a visão de Ezequiel são guardiões dos mistérios de Deus e do próprio Éden. Segundo o profeta, são anjos com 4 asas e 4 rostos (touro, homem, leão e águia).

Ômega simboliza o Fim ( apocalipse bíblico), dentro do triângulo que aponta na direção da outra extremidade da abóbada da capela, onde está um anjo de misericórdia que acolhe o planeta Terra, assim como a Árvore da Vida. Ilustrei nas imagens a seguir.

 






2. A Escada: representa o sonho de Jacó, refere-se à escada mencionada em Gênesis 28,11-19, na qual anjos continuamente subiam e desciam seus degraus. Quando Jacó acordou, ele estava cheio de gratidão, e consagrou o local como a casa de Deus, no meu coração de artista e cristão, a própria capela.



3.  Tetragrammaton: designa em hebraico o nome sagrado do "Deus de Israel", como foi originalmente escrito e encontrado na Torah, o primeiro livro do Pentateuco. Este tetragrama varia como YHWH, JHVH, JHWH e YHVH. Em algumas obras, especialmente no Antigo Testamento escrito em sua maioria em hebraico com partes em aramaico, o Tetragrama surge mais de 6 mil vezes (de forma isolada ou em conjunção com outro nome divino).



4. AGLA: sigla sagrada em hebraico para “Ateh Gibor Leolam Adonai” (“Você, ó Senhor, é poderoso para sempre.”)



5.  Ichthys ou Ichthus (do grego antigo ἰχθύς, em maiúsculas ΙΧΘΥΣ ou ΙΧΘΥC, significando "Jesus Cristo, Filho de Deus, Salvador") é um símbolo que consiste em dois arcos que se cruzam para formar o perfil de um peixe, sendo um dos símbolos mais antigos do cristianismo. A licença poética artística aqui foi desdobrar o Ichthus, no símbolo do infinito, porque o Amor de Cristo é Infinito.



 6. Anjos e Arcanjos: poeticamente, representam aqui os princípios (mandamentos, Leis divinas) necessários para que o ser humano alcance a Salvação, a Vida Eterna. Utilizarei os Arcanjos Miguel, Rafael e Gabriel para exemplificar.

 6.1 Em hebraico, Miguel significa "aquele que é similar a Deus" (mi-"quem", ka-"como", El-"deus"), o que é tradicionalmente interpretado como uma pergunta retórica: "Quem como Deus?" (em latim: Quis ut Deus?), para a qual se espera uma resposta negativa, e que implica que ninguém é como Deus. Assim, Miguel é reinterpretado como um símbolo de humildade perante Deus. Na pintura, a ênfase nos pés descalços representam esse as
pecto.



6.2 Rafael (do hebraico רָפָאֵל, transl. Rāp̄āʾēl, "Deus cura"; em árabe: رافائيل; transl. Rāfāʾīl; amárico: ሩፋዔል, transl. Rāfāʾīl), o facto de Rafael ser considerado o portador da cura Divina, fornece indícios de que ele seja o responsável pela transição do corpo e espírito. Rafael também conhecido como São Rafael Arcanjo, é o nome de um arcanjo comum às religiões judaica, cristã e islâmica, responsável por executar todos os tipos de cura(física,psíquica ou espiritual). Enviado por Deus para curar em Seu Nome, Rafael significa "Deus cura" em hebraico; a palavra correspondente a médico é Rophe.



6.3 Gabriel (em hebraico גַּבְרִיאֵל, no hebraico moderno Gavriʼel, no hebraico tiberiano Gaḇrîʼēl; em latim Gabrielus; em grego Γαβριήλ, transl. Gabriēl; em árabe جبريل, trans. Jibrīl ou جبرائيل, transl. Jibrail; todos do aramaico Gabri-el, "homem forte de Deus"[1]) é, nas religiões abraâmicas, um anjo que serve como mensageiro de Deus. Aparece pela primeira vez numa menção no Livro de Daniel, na Bíblia hebraica.




Poderia continuar explicando (defendendo!) cada centímetro quadrado desta pintura que representou uma fase da minha vida, mas vou encerrando esta “aula” de Arte e de Fé por aqui. Para quem tiver paciência de ler esse texto até aqui, que não fique nenhuma dúvida sobre meu caráter, religiosidade e profissionalismo doados, como obra, a Capela N. S. Do Sameiro. Para finalizar, deixo a reflexão... O divino (como era chamado) Michelângelo disse certa vez enquanto esculpia a Pietá: “Se a Arte é minha esposa, as obras são minhas filhas”... Em outro momento os críticos o questionaram ainda sobre a Pieta: “Mas porque fizestes Nossa Senhora tão grande, muito maior que Jesus? Perdeste a habilidade com o cinzel ou tornastes um um herege ?!”. O artista Michelângelo respondeu: “A arte deve ser contemplada não só com os olhos, mas com o coração; que tamanho deveria ter uma mãe para carregar seu filho morto nos braços?!.”
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Receba nossas notícias em seu WhatsApp
Portal M2 News
Envie NOTÍCIAS e receba as principais notícias publicadas no Portal M2 News em seu WhatsApp. SERVIÇO 100% GRATUITO!