15/06/2017 às 01h46min - Atualizada em 15/06/2017 às 01h46min

Estreia de Mário Marinho como comentarista político

Mário Marinho - M2News

Amazonino, Omar, Artur, Hissa, Braga, Marcelo, Silas, Wilker, José, Luiz, Liliane... Ufa! Eleição Suplementar no Amazonas.

Quem apostou que Amazonino Mendes, 77, estava fora das eleições suplementares para governador do Amazonas, perdeu. O político que até poucos meses andava recluso, recebia apenas íntimos amigos em sua residência às margens do lago Tarumã, voltou à cena política nos últimos dias. Sempre bem articulado, conseguiu bênçãos do presidente nacional do seu partido (PDT), Carlos Lupi, e entrou de cabeça na disputa pelo Governo Amazonense. Nos bastidores, reunia quase que diariamente com marqueteiros, políticos e ex-secretários de governos comandados por ele. Quieto, e usando o bom e velho discurso, que só o povo saberia se ele iria ou não disputar o governo, o "negão" como é conhecido, está de volta. 

Amazonino promete dar trabalho aos adversários pela cadeira deixada por ordem do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pelo ex-governador e amigo, José Melo. Usando de artifícios e prometendo alianças duradouras, o oficialmente pré-candidato ao governo vai ter sua candidatura confirmada nas próximas horas pelo seu partido. Além disso, vai reunir em um mesmo palanque, Omar Aziz (PSD), Artur Neto (PSDB) e o atual presidente estadual do PDT Hissa Abrahão. Apenas para relembrar, Omar era unha e carne com Artur até as eleições de 2016. Mas articulações e desentendimentos para a disputa pela prefeitura naquele ano os colocaram em palanques diferentes. Ambos viviam se retrucando, inclusive com ofensas pessoais. A briga entre os dois não foi secreta e fez parte de discursos e entrevistas. 
Já Hissa, foi eleito junto com Artur em 2012. Na época o "namoro" prometia render bons frutos para Manaus. Hissa era um jovem político e trazia uma boa articulação com segmentos estudantis, representava bem a juventude. Mas antes mesmo da metade do mandato, foi exonerado do cargo de Secretário Municipal de Infraestrutura, durante entrevista de Artur a uma rádio local. Descontente, se afastou politicamente de Artur. Nas eleições seguintes se elegeu deputado federal e cortou laços com o tucano. De lá pra cá ambos trocavam farpas e viraram desafetos. 

-Negão gira a roda do destino, de novo. 

Como em política tudo é tão incerto, e no Amazonas até boi voa lá pelas bandas de Parintins, o negão girou a roda do destino (alusão ao jingle de Amazonino de 1986) deu uma de pai, bateu no peito e chamou todos para conversar baixinho. O discurso de união? O bem do Amazonas, principalmente em momentos turbulentos na economia e política brasileira. Na campanha, todos devem usar o já conhecido argumento de que  pelo bem do povo e a felicidade geral da nação amazonense, estão juntos e bem resolvidos. Com isso, mesmo com alguns respingos de mágoas, não se assustem se virem nos próximos dias fotos, posts nas redes sociais e até vídeos deles juntos. É, o negão voltou e agora só deve definir quem vai posar na foto como vice ao seu lado. Artur Bisneto ganhou bastante força com aliança formada na noite dessa quarta-feira, 14. Mas Josué Neto, deputado estadual e herdeiro de uma rede de comunicação seria o nome sugerido por Omar e bastante provável.
 

- Corrida continua. Quinta-feira deverá ter mais que 24h -

Faltando poucas horas para a definição final, alianças se formam com conversas sérias, mas reservadas. As próximas horas serão decisivas. Eduardo Braga tem um grande número de prefeitos do interior ao seu lado. Carrega um legado deixado nos seus últimos governos, tem uma ótima equipe de marqueteiros e profissionais no seu staff. Mas ainda não conseguiu um partido forte, sem ranhuras herdadas pelos últimos escândalos políticos. O PC do B, de Vanessa Grazizotin, é forte nome entre as mulheres, mas não é consenso. Há quem prefira Rebecca Garcia (PP), que já até ameaçou se rebelar e seguir sozinha. Marcelo Ramos (PR) que chegou a se oferecer para ser vice na chapa que não vingou, do atual governador interino David Almeida, poderia até ser uma escolha - com milhos à parte - mas encontra resistências no PR e não é consenso no PMDB. 

Liliane Araújo (PPS), jornalista, vai disputar seu primeiro cargo majoritário. Sem apoio de nenhuma outra legenda ela saiu na frente, ao menos no anúncio do nome do vice, feito nessa quarta-feira, 14.  Será o Cabo da Policia Militar Jeverson Lobo. Articuladores indicam que a campanha dela vai ser pautada pelo discurso do tá tudo errado, tem que melhorar. É possível. A chapa também já usa o argumento de que o Amazonas precisa de uma mulher para ajeitar a casa. A candidata tem boa oratória, mas precisaria de um plano de governo firme para emplacar como opção de voto feminino. 

Wilker Barreto (PHS) oficializa na sexta-feira, 16, sua campanha ao governo. Acompanhado do PV, PRP, PSL e Avante, o atual presidente da Câmara Municipal de Manaus chegará à disputa, talvez, com o discurso mais fundamentado para o embate contra Amazonino Mendes e Eduardo Braga. Com bastante articulação comunitária em Manaus e no interior do Estado, aposta em uma campanha com uma cara jovem, forte e sólida. Seus articuladores prometem um embate forte e um discurso de renovação contra quem já foi governador e agora quer voltar. Em outras palavras, Wilker pretende ser uma opção para o eleitor que quer renovar. Vale lembrar que nas últimas eleições para prefeitura de Manaus, Wilker foi um bom cabo eleitoral de Artur Neto, reunindo inclusive quem não estava contente com a gestão tucana. Em troca ganhou base e apoio para se manter à frente da CMM.

Silas Câmara (PRB), aposta na força da igreja comandada pela família dele, no Amazonas, para conquistar votos no interior. O Deputado Federal engrossa o coro dos candidatos que pretendem disputar com unhas e dentes a cadeira deixada por Melo. Tem apoio do PSC, PTC e PPL.  Silas carrega um velho discurso, bastante usado pelo deputado estadual Berlamino Lins, de que conhece como ninguém os 61 municípios do Amazonas, visitou todos, e sabe o que cada um precisa. Resta saber se no seu plano de governo vai ter espaço para tantas melhorias nas sessenta e uma cidades que ele visitou. Seu vice na chapa deve ser o mesmo da disputa para prefeitura de Manaus, Coronel Amadeu. A convenção do PRB é na sexta-feira. 

Luiz Castro (REDE) vai usar o discurso de que práticas antigas não podem ser mais toleradas. Tem como madrinha na campanha a ex-senadora Marina Silva, presidente nacional da legenda. Apesar de ter conversado com diversos partidos, sem acordo aparente, da união com PSOL deve sair seu candidato à vice. Nas redes sociais o pré-candidato usa discurso contrário ao atual governo federal. Deverá ser uma das alternativas dos eleitores mais conservadores.

José Ricardo (PT) travará uma grande luta na campanha para não vincular muito sua imagem com aos líderes de seu partido. Muito articulado nos movimentos sociais, também vai usar discurso do tá tudo errado. Mas pretende surpreender com ideias de melhorias em logística e economia. Tem apoio no interior do Estado. Segundo fontes próximas vai focar sua campanha com propostas de implantação e ampliação de programas sociais, principal bandeira petista. Ainda não sabemos se o candidato levará sua tradicional Kombi para alguns municípios durante a campanha. 

Por enquanto é só. Vejamos o que as próximas horas nos reservam... E quem estará no próximo tabuleiro. Até mais!


Sobre o autor:
Mário Marinho é jornalista e radialista. Já atuou como repórter, apresentador, diretor e produtor de programas de televisão. Tem passagens por grandes emissoras de TV do Amazonas, como TV A Crítica e TV Em Tempo. Já atuou no serviço público como assessor de imprensa e repórter. Atualmente é gestor do portal de notícias M2News.
Contato: mariomarinho@m2news.com.br






Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale com a gente
Portal M2 News
Envie NOTÍCIAS e receba as principais notícias publicadas no Portal M2 News em seu WhatsApp. SERVIÇO 100% GRATUITO!